A minha relação com este livro foi estranha. A trama é boa, a construção dos personagens é adorável e a escrita do autor é deliciosa, mas acabei demorando seis meses para terminar de ler este livro. Talvez a culpa seja das letras pequenas e do desenvolvimento mais lento da história (principalmente no início da trama), ou talvez (apenas, talvez) a culpa seja minha, por eu sempre acabar colocando outros livros entre as leituras dos capítulos deste livro.
A história se passa em 1965, quando Charlie Butkin, protagonista, narrador e adolescente aspirante a escritor, é acordado por Margo Jasper Jones (qualquer semelhança com Cidades de Papel acaba por aqui), jovem que é o verdadeiro representante do caos e do perigo na pequena cidade australiana de Corrigan, o palco da história deste livro. Este leva Charlie até a uma clareira, a beira do rio, e mostra o que será o tal segredo de Jasper Jones do título durante todo o livro (sério, a descrição e o modo como o autor o revela ainda no começo da história são interessantíssimos, vale a pena não ficar sabendo muito da história, mas, caso queira saber, só abrir o spoiler aí embaixo).

[su_spoiler title=”SPOILER” style=”fancy”]Laura Wishart, namorada secreta de Jasper, filha do prefeito e irmã da garota pelo qual Charlie é apaixonado, está lá enforcada. Como se ela fosse encontrada, Jasper Jones seria imediatamente acusado, devido ao ódio que a cidade nutre pelo jovem, eles ocultam o corpo dela e começam a procurar os motivos e os culpados pela morte de Laura.[/su_spoiler]

O próprio título entrega toda a proposta do livro: segredos. Enquanto Charlie e Jasper tentam descobrir como aquilo aconteceu, os personagens vão se aprofundando em uma trama na qual os segredos de vários habitantes da cidade são revelados, mentiras descobertas e traições expostas. Assim, acima de tudo, O Segredo de Jasper Jones é um livro sobre a humanidade, sobre o que há de bom e o que há de ruim habitando em cada um, sobre o quanto a mentira pode manter e o quanto a verdade pode devastar.

Esse pode ser um daqueles raros acontecimentos que duram, algo que será lembrado e relembrado por meses e anos. […] É algo que você precisa viver para entender. Uma daquelas excêntricas colisões de meteoros efervescentes, vultosos corpos celestiais, destroços flutuantes e uma única linda bola vermelha, que estoura na sua vida e através do seu corpo como um enorme fogo de artifício. Quando as coisas entram em foco por um momento e tudo faz sentido.

A narração em primeira pessoa feita por Charlie, um garoto de 13 anos, é fundamental para garantir um olhar crítico e sem grande interferências de seu passado, assim, ao olhar para o bullying e preconceito que fazem com seu melhor amigo, Jeffrey Lu, que é vietnamita, ele olha para isto com desprezo e não entende o porquê disto. A decisão do autor para escolher o modo como a história é narrada ainda é ótima para poder observar de perto não só o amadurecimento do personagem, mas como o segredo revelado por Jasper Jones cobra seu preço e corrói Charlie por dentro.

Ainda que o tal segredo seja revelado no início, o livro ainda mantém em todo seu desenvolvimento um quê de investigação, já que o importante aqui é desvendar o como, quem e o porquê. Embora até tenha o desenrolar do romance entre Charlie e Eliza Wishart, garota pelo qual é apaixonado, ele não é tratado de modo irreal ou se torna o grande foco da narrativa, mas se desenvolve aos poucos, de maneira doce e inocente.

Os personagens de apoio da história são todos interessantes e tem uma boa construção por parte do autor, o que é fundamental neste livro que trata não sobre um segredo, mas sobre a humanidade e a sociedade. Aliás, é interessante que embora o segredo de Jasper Jones dê o pontapé na história, ela se desenvolve ao seu redor e, em vários momentos, acaba não sendo o foco da narrativa.

IMG-20150423-WA0008

A edição da Intrínseca está ótima, com uma capa muito melhor que a original. O único problema é que a letra está um pouco pequena, o que atrapalha para ler no metrô, ônibus e em outros veículos.

O Segredo de Jasper Jones, de Craig Silvey, é um livro que parece meio perdido no começo, mas que se encontra e toma fôlego durante o seu desenvolvimento, conquistando o leitor com uma narrativa convidativa, uma ótima construção dos personagens e um mistério que movimenta a trama, enquanto questiona a nós e a nossa sociedade.

4,5/5

[su_button url=”https://www.skoob.com.br/o-segredo-de-jasper-jones-223283ed249827.html” target=”blank” style=”flat” size=”8″]Adicione o livro no Skoob![/su_button] [su_button url=”https://www.goodreads.com/book/show/22009772-o-segredo-de-jasper-jones?ac=1″ target=”blank” style=”flat” background=”#ff8808″ size=”8″]Adicione o livro no GoodReads![/su_button]


 

O_SEGREDO_DE_JASPER_JONES_Craig SilveyEditora: Intrínseca
Ano: 2012
Autor: Craig Silvey
Páginas: 288
Sinopse: Numa noite, durante o intenso verão de 1965, Charlie Bucktin é acordado pela visita de Jasper Jones, o pária da pequena cidade de Corrigan, na Austrália. Seduzido pela rebeldia de Jasper, Charlie o acompanha e acaba descobrindo um crime. O segredo, compartilhado entre dois garotos tão diferentes, desperta em Charlie um turbilhão de dúvidas a respeito dos conceitos de verdade e mentira. Neste romance de crescimento, o menino franzino de 13 anos, leitor voraz, reflete sobre os acontecimentos por meio de referências a clássicos do gênero.