BoO

Você já deve ter visto ao menos alguma vez algum post deste tipo, afinal a ideia criada em 2011 lá no Eu Leio, Eu Conto rapidamente se espalhou pela blogosfera literária. A partir de agora, vez ou outra, vamos vir dizer o que estamos achando de algum livro até a sua centésima página. Para a estreia da coluna escolhemos um dos livros mais esperados do ano, O Sangue do Olimpo!

Este post contém spoilers dos livros anteriores da saga Heróis do Olimpo.

Primeira frase da página 100:

Hazel pressionou os dedos contra o arco, como se estivesse sentindo sua pulsação.

Última frase desta página:

Eles quase morriam a cada dois metros.

Do que se trata o livro?

A história iniciada em O Herói Perdido caminha para o fim, e enquanto os sete semideuses que partiram dos acampamentos aproximam-se da Grécia, berço original dos deuses olimpianos e da cultura ocidental, para deter o despertar de Gaia, Reyna e Nico ainda possuem uma longa viagem de volta com a Atena Parthenos, que pode ser a única solução para que uma guerra entre os meio-sangues gregos e romanos não ecloda.

O que está achando até agora?

Alessandra – Sem dúvidas um dos livros mais geniais do Rick Riordan. Além do ritmo de leitura bem acelerado, a curiosidade vai aumentando cada vez mais com o decorrer da trama. Também é um dos livros mais engraçados e com sacadas inteligentes. Mesmo com muitas partes chocantes, o modo de escrita do autor faz com que a história seja ao mesmo tempo tensa porém com uma leitura leve.
João Victor – Rick Riordan tem amadurecido sua escrita nos últimos livros, mas mostra que ainda não perdeu o seu humor sagaz e sarcástico, enchendo os personagens de falas irreverentes. Com um ritmo muito rápido, o livro vai se prender na sua mão de uma maneira impossível de soltá-lo até acabar de ler a última palavra.
Rafael – Bem, Rick Riordan é impressionante. Eu amei as escolhas dos POVS, o modo como ele aborda a história e a singularidade de cada personagem.  A história tem tomado o rumo esperado, é claro, com muitas dificuldades para os semideuses concluírem suas missões. Mas até nisso o Rick arrasa, o que pensamos ser previsível, na verdade, torna-se surpreendente. Coisa que só ele sabe fazer. A história está eletrizante!

Qual seu POV (em tradução livre, ponto de vista) favorito? Por quê?

Alessandra – O Nico ainda não aparece narrando seu ponto de vista, mas até agora meu POV favorito é o do Leo, pois além de já ter dado muito risada com seus comentários sarcásticos, é curioso entender o que se passa na cabeça dele, os conflitos (até agora misteriosos para nós leitores), as preocupações da Profecia dos Sete e a vontade de reencontrar Calipso, a deusa ninfa pela qual é apaixonado, mesmo sendo impossível devido as circunstâncias.
João Victor – Certamente é o do Leo. O  humor sarcástico do filho de Hefesto me lembra muito o do Percy na saga anterior e te fará rir a todo momento. Por outro lado é extremamente interessante ver o que passa na cabeça de um dos personagens mais solitários, que já foi até chamado de a sétima vela, e que se vê preso entre uma profecia que pode fazê-lo morrer e um amor impossível com Calipso.
Rafael – Jason. O Jason é o meu personagem favorito da saga, isso é fato. Eu gosto da personalidade dele, amo o orgulho dele por seu legado e o fato dele sentir uma certa admiração pela totalidade mitológica, independentemente de grego ou romano, ele vê todos como iguais. Admiro o jeito dele de agir perante às dificuldades, os detalhes sobre ele e todas as coisas boas que ele faz (como amar a Piper!). Jason Grace é incrível. E eu o amo.

Melhores quotes até agora:

Alessandra – Pode trapacear 25 páginas? Na verdade esse é um dos meus quotes favoritos do livro todo. Acontece quando Hades envia um fantasma para levar Nico até a Capela dos Ossos, o primeiro lugar que o deus encontrou onde consegue aparecer para o filho como ele mesmo, e não dividido com sua outra “manifestação”. E é justamente no momento que Hades explica um pouco da história do lugar que diz:

A Capela dos Ossos. Serve para nos lembrar que a vida é curta e que a morte é eterna.

João Victor:

E se começássemos a fazer propaganda de, sei lá, tênis Adidas? – perguntou Percy. – Afinal, a Nike se inspirou em Nice. Será que isso a deixaria com raiva o suficiente para aparecer? […] Leo quase pulou para fora de seu cinto de ferramentas. Ele se virou… e se repreendeu na hora. Ele tinha que invocar Adidas, a deusa dos tênis de segunda opção.

Rafael:

A voz do Vento Sul surgiu em sua mente: Você não pode controlar sua ascendência, mas pode escolher sua herança.

VAI CONTINUAR LENDO?

Alessandra – Com certeza, tem tudo para ser o melhor livro da série Os Heróis do Olimpo.
João Victor – Claro! Nada vai me fazer perder o desfecho desta saga.
Rafael – Sim! É o final épico de uma saga épica!

Alessandra

eu

rAFA