No dia 10, infelizmente, nos despedimos do nosso camaleão do Rock, David Bowie, devido a um câncer no fígado que ele já combatia há 18 meses. Sua influência vai muito além de um gênero e abarca não só a música, mas todos os meios audiovisuais e até a forma de se relacionar (e de se fazer) cultura pop, sua multiplicidade e a constante renovação o levaram a marcar várias gerações de fãs e de artistas.

Seu último álbum, ★ (pronuncia-se Blackstar), foi lançado na última sexta-feira, apenas dois dias antes de sua morte, e possuía menções o suficiente (vide Lazarus) para desconfiarmos que era a despedida de Bowie para o seu público (indico que, quem se interessar, leia este post do Contraversão), o que já foi confirmado por Tony Visconti, que trabalha com o músico há décadas e foi produtor do disco:

Ele sempre fez o que queria fazer. E ele queria fazer do seu jeito e ele queria fazer da melhor maneira. Sua morte não foi diferente de sua vida – uma obra de Arte. Ele fez Blackstar para nós, seu presente de despedida. Eu sabia há um ano que isso seria assim. Eu não estava, entretanto, preparado para isso. Ele era um homem extraordinário, cheio de amor e vida. Ele sempre estará conosco. No momento, é apropriado chorar. – Retirado de UOL

Então, para celebrar a vida de David Bowie, adaptamos e para o Brasil, a lista das 100 leituras favoritas do artista, elencando quais possuem edição nacional, como foram traduzidos os títulos e a quais editoras pertencem para que fique mais fácil encontrar os livros.

Livros que possuem edições brasileiras atualmente:

Estes livros fazem parte do catálogo das editoras nacionais, como a Record e a Companhia das Letras, tornando-os mais fáceis de encontrar em qualquer livraria e em sites como a Amazon. Para facilitar a busca, todos os livros estão com links para lojas e livrarias virtuais, como a Saraiva e o Submarino. *

  1. 1984, de George Orwell – Companhia das Letras
  2. Dentro da Baleia e Outros Ensaios, de George Orwell – Companhia das Letras
  3. O Caminho para Wigan Pier, de George Orwell – Companhia das Letras
  4. Lolita, de Vladimir Nabokov – Editora Alfaguara
  5. A Sangue Frio, de Truman Capote – Companhia das Letras
  6. Laranja Mecânica, de Anthony Burgess – Editora Aleph
  7. Berlin Alexanderplatz, de Alfred Döblin – Martins Fontes Editora
  8. Entrevistas com Francis Bacon, de David Sylvester – Editora Cosac Naify
  9. Paralelo 42, de John Dos Passos – Editora Benvirá
  10. Os Cantos de Maldoror, de Lautréamont – Editora Iluminuras
  11. O Zero e o Infinito, de Arthur Koestler – Editora Amarilys
  12. Herzog, de Saul Bellow – Companhia das Letras
  13. O Mestre e a Margarida, de Mikhail Bulgakov – Editora Alfaguara
  14. O Ataque, de Rupert Thomson – Editora Record
  15. Uma Confraria de Tolos, de John Kennedy Toole – BestBolso
  16. O Amante de lady Chatterley, de D.H. Lawrence – Penguin/Companhia
  17. O Grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald – Editora Record
  18. A Criação da Juventude, de Jon Savage – Editora Record
  19. O Papagaio de Flaubert, de Julian Barnes – Editora Record
  20. Madame Bovary, de Gustave Flaubert – Penguin/Companhia
  21. A Divina Comédia, de Dante Alighieri – Editora Landmark
  22. On the Road: Pé na Estrada, de Jack Kerouac – L&PM
  23. A Vida e a Época de Little Richard, de Charles White – L&PM
  24. Enquanto Agonizo, de William Faulkner – L&PM
  25. Ilíada, de Homero – Editora Nova Fronteira

Livros que possuíam edição no Brasil:

Estes livros não fazem parte do catálogo de nenhuma editora atualmente, mas já foram publicados por aqui há alguns anos (ou décadas) atrás. Assim, a maioria é fácil de encontrar em sebos e em sites como o Estante Virtual, aliás, colocamos links direcionando para a página do livro no EV para facilitar a procura por eles.

  1. Personas Sexuais: Arte e Decadência de Nefertiti a Emily Dickinson, de Camille Paglia – Companhia das Letras
  2. O Rastro dos Cantos, de Bruce Chatwin – Companhia das Letras
  3. Ruído Branco, de Don Delillo – Companhia das Letras
  4. No Castelo do Barba Azul, de George Steiner – Companhia das Letras
  5. Na Ponta dos Dedos, de Sarah Waters – Companhia das Letras
  6. Poderes Terrenos, de Anthony Burgess – Record
  7. O Gattopardo, de Giuseppe Tomasi di Lampedusa – BestBolso
  8. O Estrangeiro, de Albert Camus – Record
  9. Grana, de Martin Amis – Rocco
  10. Primeiro Amor, Último Casamento & Entre Lençóis, de Ian McEwan – Rocco
  11. Primavera da Srta. Jean Brodie, de Muriel Spark – Rocco
  12. O Marinheiro que Perdeu as Graças do Mar, de  Yukio Mishima – Rocco
  13. Almas em Leilão, de John Braine – Editora Globo
  14. O Julgamento de Kissinger, de Christopher Hitchens – Boitempo Editora
  15. Em busca de Christa T., de Christa Wolf – ArtEdit
  16. Zanoni, de Edward Bulwer-Lytton – Editorial Pensamento
  17. A Tragédia de um Povo, de Orlando Figes

Livros que não possuem edição no Brasil:

  1. The Age of American Unreason, de Susan Jacoby
  2. The Brief Wondrous Life of Oscar Wao, de Junot Diaz
  3. Trilogia The Coast of Utopia, de Tom Stoppard
  4. Mr Wilson’s Cabinet of Wonder, de Lawrence Weschler
  5. Wonder Boys, de Michael Chabon
  6. The Bird Artist, de Howard Norman
  7. Kafka Was the Rage: A Greenwich Village Memoir, de Anatole Broyard
  8. Beyond the Brillo Box: The Visual Arts in Post-Historical Perspective, de Arthur C. Danto
  9. David Bomberg, de Richard Cork
  10. Sweet Soul Music: Rhythm and Blues and the Southern Dream of Freedom, de Peter Guralnick
  11. Hawksmoor, de Peter Ackroyd
  12. Nowhere to Run: The Story of Soul Music, de Gerri Hirshey
  13. Nights at the Circus, de Angela Carter
  14. A People’s History of the United States, de Howard Zinn
  15. Raw, uma revista “graphix”, publicada entre 1980 e 1991
  16. Revista Viz, publicada desde 1979
  17. The Gnostic Gospels, de Elaine Pagels
  18. Metropolitan Life, de Fran Lebowitz
  19. Writers at Work: The Paris Review Interviews, editado por Malcolm Cowley
  20. The Origin of Consciousness in the Breakdown of the Bicameral Mind, de Julian Jaynes
  21. Tales of Beatnik Glory, de Ed Sanders
  22. Mystery Train, de Greil Marcus
  23. Selected Poems, de Frank O’Hara
  24. The Street, de Ann Petry
  25. Black Boy, de Richard Wright
  26. Before the Deluge: A Portrait of Berlin in the 1920s, de Otto Friedrich
  27. Octobriana and the Russian Underground, de Peter Sadecky
  28. The Sound of the City: The Rise of Rock and Roll, de Charlie Gillett
  29. Awopbopaloobop Alopbamboom: The Golden Age of Rock, de Nik Cohn
  30. Journey into the Whirlwind, de Eugenia Ginzburg
  31. Last Exit to Brooklyn, deHubert Selby Jr
  32. City of Night, de John Rechy
  33. Puckoon, de Spike Milligan
  34. The American Way of Death, de Jessica Mitford
  35. The Fire Next Time, de James Baldwin
  36. Revista Private Eye, publicada desde 1961
  37. On Having No Head: Zen and the Rediscovery of the Obvious, de Douglas Harding
  38. Silence: Lectures and Writing, de John Cage
  39. Strange People, de Frank Edwards
  40. The Divided Self, de RD Laing
  41. All the Emperor’s Horses, de David Kidd
  42. Billy Liar, de Keith Waterhouse
  43. The Hidden Persuaders, de Vance Packard
  44. A Grave for a Dolphin, de Alberto Denti di Pirajno
  45. The Outsider, de Colin Wilson
  46. The Portable Dorothy Parker, de Dorothy Parker
  47. The Day of the Locust, de Nathanael West
  48. Quadrinho The Beano, publicado desde 1938
  49. Mr. Norris Changes Trains, de Christopher Isherwood
  50. English Journey, de J.B. Priestley
  51. Infants of the Spring, de Wallace Thurman
  52. The Bridge, de Hart Crane
  53. Vile Bodies, de Evelyn Waugh
  54. Passing, de Nella Larsen
  55. The Waste Land, de T.S. Eliot
  56. BLAST, editado por Wyndham Lewis
  57. McTeague, de Frank Norris
  58. Transcendental Magic, Its Doctrine and Ritual, de Eliphas Lévi

Quando e por que a lista foi feita?

A lista de 100 leituras foi disponibilizada em virtude da exposição londrina David Bowie Is, realizada inicialmente no Victoria and Albert Museum e que teve uma passagem pelo Brasil, no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo, há uns dois, três anos atrás. Os curadores Geoffrey Marsh e Victoria Broackes acharam importante trazer os livros favoritos do músico à exposição para demonstrar algumas das referências que Bowie teve na construção de suas obras e um pouco do que ele pensa.

david bowieE a exposição originou o livro David Bowie, publicado no Brasil pela Cosac Naify em outra das belas edições características da editora. Nele, os autores traçam toda a trajetória do artista, desde sua juventude em Londres até a sua ascensão em um ícone conhecido mundialmente, o impacto de sua obra na arte e na música do século XX.

Além dessa biografia, o livro traz inúmeros ensaios sobre a influência do trabalho de Bowie na música, no cinema, na questão de gênero e na moda, inclusive com textos escritos pelos curadores da exposição. O livro também foi o primeiro (e até agora único) a contar com acesso irrestrito ao arquivo pessoal do artista – o The David Bowie Archive, trazendo várias fotos de letras originais, roupas icônicas, fotos pessoais e objetos dele.

O legado que David Bowie deixa é gigante, certamente, ainda impactará a várias gerações e, é como ele disse em Lazarus:

Just like that bluebird, I’ll be free, ain’t that just like me.

* Comprando pelos links da Amazon, o site ganha uma pequena comissão, que ajuda na manutenção dos servidores. 😉