Alfred Hitchcock é um dos maiores e mais influentes cineastas da história do cinema, ficando na memória de todos como o grande rei do suspense. E se vários diretores têm a chance de dizer que uma de suas cenas entrou para a história, o britânico tem uma verdadeira coleção de cenas imortais em cada um de seus filmes, impregnadas por sua marca e genialidade, inclusive sendo repetidas até hoje por cineastas do mundo todo.

Por isso, resolvi reunir hoje, 37 anos após o falecimento de Hitchcock, nove cenas de cinco filmes icônicos na trajetória do cineasta para que aqueles que já as viram possam revê-las e para que tantos outros conheçam e se interessem pelo trabalho do diretor.

Intriga Internacional

Considerado um dos melhores filmes do diretor, o longa de 1959 venceu como melhor filme do Prêmio Edgar e teve três indicações ao Oscar, e foi estrelado por Cary Grant, Eva Marie Saint e James Mason. Na trama, um executivo é confundido por espiões como um agente secreto americano, o que o faz ser perseguido por todo os Estados Unidos até à cena final eletrizante no Monte Rushmore.

Janela Indiscreta

Filme de 1954, é um dos melhores filmes para conhecer um pouco o trabalho de Hitchcock, que manipula o público com uma destreza sem igual através das lentes da câmera de um fotógrafo profissional preso em uma cadeira de rodas que passa a acompanhar a vida de seus vizinhos a partir da janela dos fundos. Com quatro indicações ao Oscar, o longa é considerado uma das melhores produções da história do cinema e obrigatório na lista de qualquer cinéfilo.

Um Corpo que Cai

Também conhecido por aqui pelo título original, Vertigo ou Um Corpo que Cai é icônico em cada pequeno frame, adaptando com destreza o romance que a dupla Boileau-Narcejac escreveu especialmente para que Hitchcock levasse às telas do cinema. O filme foi tão inovativo ao distorcer a perspectiva de uma determinada forma que nomeou o truque, hoje chamado de Efeito Vertigo, popularmente.

Os Pássaros

Lançado em 1963, o filme não só impressionou pelos seus efeitos especiais – avançados para a época -, como também por não utilizar o clássico “The End” (o fim, em bom português) na sua cena final, deixando o público impactado com o desfecho da trama e procurando a solução para um suspense que não é solucionado em tela.

Psicose

É praticamente possível encerrar essa lista sem citar aquele que é o filme mais conhecido de Hitchcock. Psicose, de 1960, reinventou o cinema e contou uma ótima história de uma maneira ímpar que ficará marcada eternamente na memória do cinema – e no cérebro daqueles que assistiram. Poderia selecionar mais várias cenas de praticamente todos os filmes do cineasta que são importantes para o desenvolvimento da sétima arte ou uma tonelada de momentos icônicos apenas desse filme que devem ser apreciados, mas opto por encerrar esse post com a cena mais conhecida de toda a história do cinema, que ainda se mantém atual e original quase sessenta anos depois que foi rodada.