A convite da Darkside Books, resolvemos compartilhar treze dicas de leitura que vão te fazer dormir de luz acesa neste mês de outubro. De ameaças sobrenaturais ao lado mais sombrio da mente humana, estes são livros que vão te chocar, arrepiar, assustar e que ainda vão ficar com você por muito depois da leitura.

A primeira dica é o visceral Hellraiser, de Clive Barker, um livro que te choca a cada virada de página e ainda vai emprestar aos seus pesadelos uma das figuras mais tenebrosas que a imaginação pode conceber.
Com certeza é uma leitura que vai te fazer fugir de pregos, ganchos, agulhas e outros objetos pontiagudos.

E o segundo livro não poderia ser outro que não uma das sequências de Hellraiser, Evangelho de Sangue. Embora este não seja um dos meus livros favoritos do Barker, mais uma vez o autor prova a maestria que tem ao usar o gore para criar uma história com algumas das cenas mais perturbadoras que já li.
Além disso,para quem já leu outros livros do autor, é simplesmente empolgante ver o embate entre dois dos seus personagens mais famosos.

Nossa terceira indicação é justamente do nosso Barker brasileiro, César Bravo. Em Ultra Carnem, temos uma história na qual nossa alma é o verdadeiro campo de batalha no qual conflito entre o céu e o interno acontece.
Cada passo em falso leva os personagens a situações insanas que desafiam a lógica e mostram nossa fragilidade frente a esta eterna batalha.

Indo de Barker e Bravo ao sobrenatural da vida real, outros três livros que não podem faltar nesta data são 1977 – Enfield e os dois livros do casal Ed e Lorraine Warren.

Em Demonologistas, Gerald Brittle apresenta uma verdadeira introdução ao universo sobrenatural e às visões particulares dos Warren sobre diferentes tópicos como possessão, espiritualidade e exorcismo. Ainda que você não acredite naquilo que eles dizem, é sensacional compreender um pouco sobre o casal que esteve no epicentro de alguns dos fenômenos sobrenaturais que mais assombraram a América e ganharam moradia definitiva na cultura pop.

Em Lugar Sombrio, de Carmen Reed, Al Snedeker e Ray Garton, por outro lado, ganhamos um caso dos Warren que é narrado de uma maneira mais romanceada. O relato de uma família infernizada por vozes e espíritos depois da mudança para uma casa num local que já fora uma funerária mostra a degradação lenta da sanidade frente ao oculto. E, como toda boa história de terror, te arrepia mais quando se lê que ela é baseada em fatos reais.

Em 1977 – Enfield, não temos o casal Warren como protagonista, mas temos um dos casos sobrenaturais mais famosos de todos os tempos esmiuçado de uma maneira sem igual por Guy Lion Playfair, jornalista especializado no tema e que inclusive morou no Brasil durante um bom tempo. A história que inspirou Poltergeist e o segundo Invocação do Mal é meticulosamente registrada no livro e apresenta cada pormenor do caso que até hoje intriga especialistas ao redor do mundo; afinal seria esta uma presença do além, loucura ou uma mentira muito bem contada?

Se dizem que sete é o número da perfeição, então nossa sétima indicação não poderia ser outra que não o mestre do terror e dono do coração de muitos leitores, Edgar Allan Poe. Do corvo de negras plumas ao sofrimento daqueles presos entre o poço e o pêndulo, poucos souberam criar narrativas tão belas e trágicas, com um verdadeiro toque de gênio, capazes de criar e moldar diferentes gêneros, além de entrar de vez no imaginário coletivo. É como disse Gaiman: “O melhor de Poe nunca envelhece. Seus contos ainda nos deixam maravilhados. E suspeito que eles serão eternos.”

Ah! E edição da Darkside é um primor a parte. Com um projeto gráfico de luxo e digno do mestre, a editora reuniu alguns dos seus melhores contos em blocos temáticos, além de revisitar o poema O Corvo no original e nas traduções de Fernando Pessoa e Machado de Assis, só para dissecá-lo em seguida com um ensaio obrigatório para quem é fã de literatura, Filosofia da Composição.

Mas nem só o sobrenatural assusta e mexe com o leitor, afinal muitas vezes o terror real é muito pior do que qualquer um poderia imaginar. Nessa lógica, Manson – A Biografia Definitiva entra nesta lista como uma das campeãs que mais te farão desejar fechar o livro e correr para um lugar distante. A obra é um retrato incrivelmente vivo da vida de um dos psicopatas mais conhecidos dos Estados Unidos, que também né uma das mentes mais perturbadas (e perturbadoras) da história. Não só Jeff Guinness consegue isso, como congela e examina em detalhes toda esta época, transportando o leitor para dentro da realidade distorcida e sombria no qual habitava um dos maiores pesadelos da América. Não é difícil perceber, depois da leitura, o porquê este livro foi considerado um dos melhores de 2013 pelo The New York Times Book Review.

Arquivos Serial Killers, de Ilana Casoy, não só introduz o leitor a este assunto (tanto que é usado em cursos de criminologia), como traz a presença psicopata para mais perto de nós ao reunir as duas obras mais famosas da autora, Louco ou Cruel? e Made in Brazil. Aliás, poucas leituras vão te deixar tão encucado quanta este última, já que Casoy coloca a sempre distante figura do assassino em série para habitar naquela cidade que você viajou ou no parque pelo qual você anda quase todo dia. Certamente você vai olhar pelo ombro mais vezes quando for passar por lá de novo.

Outro livro que me deu a mesma sensação foi Bom Dia, Verônica, de Andrea Killmore. Suspense eletrizante e que praticamente te traga para dentro das páginas, o livro de estreia da misteriosa autora acerta em cheio ao colocar a secretária de polícia Verônica Torres em uma investigação após receber um telefonema de uma mulher desconhecida. Ver São Paulo pelos olhos de Killmore é, ao mesmo tempo, empolgante e assustador, principalmente quando seu lado mais cruel é posto às claras.

Outra autora nacional que entra para a lista é Rô Mierling com o seu Diário de uma Escrava. Sucesso no Wattpad e com um projeto gráfico lindo, a história de abuso e estupro de uma menina de quinze anos é de revirar o estômago. É um grande espetáculo de horrores que te prende e te deixa impotente frente ao lado mais nojento, permissivo e horrível da humanidade.

Para encerrar a lista, é a vez de um quadrinho representar a linha de graphic novels da Caveira. Wytches é uma aposta certeira para quem gosta de uma trama bem amarrada e com uma mitologia interessante. As criaturas que realizam desejos em troca de vidas humanas – as brvxas – vão assombrar seus pesadelos não por te devorarem num caldeirão, mas por mostrar até onde vamos atrás do que queremos. Eu juro que vocês vão gostar dessa HQ.

Enfim, quase todos estes livros têm resenha aqui no site, é só clicar nos links espalhados pelo texto. E uma tenebrosa sexta-feira 13 a todos!